Associação de Professores
da PUC Goiás
apuc 40 anos 3

20.06.2022 POST Ensino superior entra em estado de greve em São Paulo 1Reunidos em assembleia, no dia 15/06, os/as professores do ensino superior de São Paulo, diante do impasse causado pela intolerância dos patrões da educação superior decidiram recusar a proposta das mantenedoras e manter as reivindicações docentes. A assembleia decidiu aprovar o estado de greve da categoria. O estado de greve significa u aviso formal às mantenedoras de que os/as professores/as estão se preparando para uma greve em agosto. Os/as docentes também aprovaram uma articulação nacional para a preparação de ato em defesa da educação com possível paralisação. As decisões foram aprovadas por ampla maioria dos presentes não havendo nenhum voto contrário a elas.

O professor Celso Napolitano, presidente da Fepesp, colocou o impasse das negociações, onde os patrões insistem no reajuste de 4% em março e 2% em 2023. Essa situação também acontece em outros estados da federação, como foi relatado pelo dirigente do Sinpro RJ, Elson Paiva,onde as propostas patronais não ultrapassam os níveis inflacionários.

Presença da Apropuc

A Apropuc esteve representada por seus dirigentes, João Batista Teixeira da Silva, Victoria Claire Weischtordt e Regina Gadelha. A professora Regina fez importante intervenção onde destacou as dificuldades que a Apropuc vem enfrentando nas negociações de seu acordo interno,onde a própria representatividade da associação junto aos/às docentes está sendo questionada pela Fundasp.

Regina lembrou ainda os ataques aos/às professores/as com a eliminação de profissionais por condições etárias e as discrepâncias salariais. O professor Celso Napolitano declarou a solidariedade do Sinpro-SP e da Fepesp à Apropuc e aos/às professores da PUC-SP.

Nova assembleia da categoria está programada para agosto.


BUSCA